Projetos I+D

SURVEPROST

Assinatura molecular em biópsia líquida para a vigilância ativa no cancro da próstata

O projeto pretende desenvolver uma assinatura molecular combinada de metabolómica e miRNAs a partir de urina de pacientes diagnosticados de cancro da próstata para a sua estratificação orientada para a vigilância ativa ou a intervenção imediata. Para a realização do projeto, estabeleceu-s um consórcio entre as empresas Atrys Health (Espanha) e DINÁMICA (Colômbia). Ambas as empresas partirão de grupos de pacientes diagnosticados precocemente com cancro da próstata não agressivo e que cumprem critérios de inclusão em programas de vigilância ativa.

Em ambos os grupos, procurar-se-ão assinaturas moleculares combinadas de perfis metabolómicos e miRNAs a partir de amostras obtidas através de procedimentos não invasivos de biópsia líquida a partir de urina de pacientes.

125

pacientes participarão no projeto para a vigilância do cancro da próstata

detailGrey

O projeto procura desenvolver uma assinatura molecular que permita prognosticar a progressão do cancro da próstata

Em Espanha, o estudo realizar-se-á a partir de amostras recolhidas retrospetivamente no Hospital de Vall d’Hebrón, que formará o grupo de início sobre o qual se analisarão os perfis moleculares numa primeira fase de Discovery.

Os perfis diferenciais serão validados no grupo de validação constituído por pacientes com critérios de inclusão em vigilância ativa em ambos os países.

Para atingir os objetivos

2019-2022

Para poder atingir os objetivos do projeto com sucesso, a Atrys associa-se à DINAMICA (Grupo SURA), e conta com a colaboração do Serviço de Urologia do Hospital Vall d’Hebrón e a Fundação Medina.

Este projeto conta com o apoio de CDTI para o seu financiamento através da convocatória de projetos de colaboração internacional UNILATERAL.

Financiadores

Projetos relacionados

ADELIS

ADELIS

Avaliação farmacogenômica para o tratamento do câncer de mama com inibidores da aromatase

Ler mais
ANXARECU

ANXARECU

Validação do anexo em 2 como preditor de recidiva no cancro endometrial. Concepção de novas estratégias terapêuticas

Ler mais